Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Foi para Portugal e não perdeu o lugar

Vera Magalhães

Uma semana depois da revelação, pelo Estadão, da movimentação de mais de R$ 1,2 milhão na conta de um ex-assessor parlamentar de Flávio Bolsonaro em um ano, aparece agora um assessor que recebia provimentos, mas passava boa parte de seu tempo em outro país. O Jornal Nacional revelou que Sérvulo Rodrigues da Silva, um dos assessores que transferiram dinheiro para a conta de Fabrício Queiroz, ficou 248 dias de um ano e quatro meses em que trabalhou no gabinete de Flávio, entre 2015 e 2016, em Portugal. O senador eleito negou que Sérvulo fosse funcionário-fantasma, disse que a transferência de sua conta para Queiroz foi “pontual” e reiterou que não é investigado.