Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

‘Forças Armadas não podem se identificar com governo’, diz Barroso

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Em meio ao debate de interpretações sobre o artigo 142 da Constituição e os limites das Forças Armadas, ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso disse não ver com bons olhos o povoamento de diversos postos do governo com militares porque o “sentido de lealdade” pode levar a corporação a se identificar com o governo.

Ministro do STF Luís Roberto Barroso. Foto: Reprodução/Youtube

“As Forças Armadas não podem se identificar com governo algum. Não pode haver essa identificação e eu tenho muita preocupação de desconstruir essa possibilidade”, disse o presidente do TSE em entrevista ao Roda Viva, da TV Cultura, na noite de segunda-feira, 15. “Elas são instituições de Estado, da sociedade, e sob a Constituição”. Ele chegou a dizer que a proliferação de militares no governo foi o que Hugo Chávez fez na Venezuela.

Barroso afirmou que não ver com naturalidade as diversas manifestações que têm sido feitas recentemente em relação à possibilidade de uma intervenção militar. “Não é totalmente natural viver num tempo em que sai nota do Ministério da Defesa, do Clube Militar, de militares da reserva… Não quero fazer de conta que não acontece nada estanho, porque nada disso aconteceu nos governos Fernando Henrique Cardoso, Lula, Dilma ou Temer”, declarou.

Quanto à interpretação de que o artigo 142 da Constituição permitiria intervenção militar, Barroso afirmou: “Acho que essa interpretação não existe. Me referi a ela como terraplanismo constitucional. E nem acho que Forças Armadas pensam assim ou desejam isso”.