Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Fraude no CPF pode ter ajudado uso de WhatsApp na eleição

Marcelo de Moraes

O uso de CPFs e nomes de idosos de forma fraudulenta pode ter ajudado a garantir o disparo de mensagens em massa pelo WhatsApp a favor de políticos durante a eleição, informa reportagem da Folha. Nesta operação, as agências, supostamente envolvidas, usavam o nome e os dados desses idosos, sem o conhecimento deles, para registar chips de celular e poder enviar grande número de mensagens sem que o WhatsApp bloqueasse a operação – a empresa barra envio de muitas mensagens simultâneas de um mesmo número.

A reportagem diz que a Yacows é uma das agências que estaria envolvida com as supostas irregularidades. Ela prestou serviços para vários candidatos e foi subcontratada pela AM4, produtora que prestou serviços na campanha presidencial de Jair Bolsonaro. O presidente eleito tem negado sempre que sua campanha tenha praticado irregularidades no uso de WhatsApp para impulsionar sua campanha.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:

whatsappBolsonaro