Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

‘Funai está sendo transformada em agência contra índios’, diz diretor exonerado

Milibi Figueiredo

Instituição que envolve dois campos de batalha do governo, cultura e a causa indígena, o Museu do Índio da Fundação Nacional do Índio (Funai) teve seu diretor afastado nesta quarta-feira, 16. À frente da instituição havia 24 anos, o antropólogo José Carlos Levinho foi trocado por Giovani Souza Filho, que ocupava a diretoria de promoção do desenvolvimento sustentável da fundação desde março deste ano, conforme portaria do Diário Oficial da União.

O diretor exonerado do Museu do Índio, José Carlos Levinho

José Carlos Levinho. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

“A Funai está sendo transformada numa agência contra índios”, declarou Levinho ao BRP. Ele avaliou que o governo está exonerando servidores de perfil técnico e especializado na área. “Estão sendo substituídos por pessoas que têm em seu currículo alguma prestação de serviço a segmentos contrários aos índios”.

O diretor afastado também afirmou que tomou conhecimento de sua exoneração por meio do Diário Oficial. Presidente da Funai empossado em julho, o delegado da PF Marcelo Augusto Xavier, apoiado pela bancada ruralista, demitiu 11 coordenadores-gerais da fundação até o início deste mês. Nesta quinta-feira, 16, foram exonerados mais dois coordenadores.

Como você viu no BRP, além de Xavier, a nova diretora de proteção territorial da fundação, a advogada Silmara Veiga de Souza também tem atuação controversa em relação à área. Ela já contestou judicialmente a demarcação de terras indígenas.

Tudo o que sabemos sobre:

Funaipovos indígenasCulturagoverno