Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Funcionalismo resiste à reforma

Vera Magalhães

O funcionalismo público já ameaça ir à Justiça caso as novas alíquotas de contribuição previstas na reforma da Previdência, que podem chegar a 22% do salário, sejam aprovadas. No Twitter, os primeiros a pegar em armas são justamente aqueles que podem provocar a judicialização da questão: os procuradores da República. Em posts, eles alegam a inconstitucionalidade da alíquota progressiva proposta pelo governo.

Reportagem da Folha desta sexta-feira mapeia essa reação dos servidores públicos. Associações de juízes e do Ministério Público chamam a alíquota proposta para quem recebe acima de R$ 39 mil de “confisco”.