Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Fundo Eleitoral virou bomba no colo de Bolsonaro porque ele o colocou lá

Marcelo de Moraes

Exclusivo para assinantes

Em conversa com os jornalistas, hoje cedo, na porta do Palácio da Alvorada, Jair Bolsonaro voltou a se queixar da repercussão sobre sua mudança de comportamento em relação ao Fundo Eleitoral de R$ 2 bilhões aprovado pelo Congresso. Depois de anunciar que vetaria a proposta, o presidente mudou totalmente de ideia e já deixou claro que deve sancionar o texto, alegando que precisa cumprir a lei, sob pena de cometer crime de responsabilidade e até ter um processo de impeachment aberto contra si.

Bolsonaro reclamou que “está estourando no meu colo essa bomba”. Mas foi o próprio presidente quem chamou a polêmica para si quando preferiu jogar para a galera das redes sociais e baixar a marreta no Fundo. Se tivesse vetado ou sancionado a proposta sem bater o tradicional bumbo, dificilmente o tema teria causado a repercussão que causou. Até porque, talvez, nem se soubesse que o presidente mudou radicalmente de decisão enquanto analisava o assunto. E faz parte do jogo político um governante precisar tomar decisões importantes com as quais nem sempre concorda. Mas o preço de olhar em demasia para as redes sociais é, muitas vezes, sofrer o seu julgamento implacável.