Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Futura diretora da Funai já contestou demarcações

Equipe BR Político

Futura diretora de proteção territorial da Funai, a advogada Silmara Veiga de Souza, já contestou judicialmente a demarcação de terras indígenas. Isso ocorreu em novembro do ano passado, quando ela representava o escritório Veiga e Montemor Assessoria e Consultoria Jurídica para clientes que contestavam a demarcação de terras indígenas do povo guarani mbyá, no município de Iguape, em São Paulo. Segundo o Broadcast Político, a advogada pediu esclarecimentos à Funai sobre essa demarcação, e foi informada de que as contestações apresentadas estavam “em período de análise com previsão de conclusão no primeiro semestre de 2019”.

Em nota, o órgão não comentou o caso, mas afirmou que a futura diretora “tem uma carreira jurídica voltada aos direitos ambientais”. Silmara ainda não foi formalmente nomeada para o cargo dentro da Funai, mas nos últimos dias, já despachou na fundação. Sobre isso, a Funai informou que advogada “apenas participou de algumas reuniões como convidada para ficar a par da nova função”.  Atualmente, o órgão está em uma espécie de limbo administrativo, já que tecnicamente é vinculado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, mas também é reivindicado pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:

Funaidemarcação de terras