Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Fuzilamento de músico não se enquadra em projeto de Moro

Equipe BR Político

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, afirmou em entrevista ao programa Conversa com Bial, na terça-feira, 9, que a morte do músico Evaldo Rosa dos Santos, que foi fuzilado por militares do Exército após ter o carro atacado por 80 tiros, não tem relação com situações de legítima defesa previstas no pacote anticrime enviado por ele ao Congresso em fevereiro.

“Isso não tem nada a ver com a previsão do pacote. A previsão é de que havendo uma situação de legítima defesa, se há um excesso, se esse excesso é executado com base na violenta emoção. Pelo que entendi do episódio, destacando que ele está em apuração pelo Exército, aparentemente não teria havido sequer uma situação de legítima defesa. Então, não teria qualquer relação com o que a gente coloca no projeto”, afirmou. O ministro chamou o caso de “incidente bastante trágico”.