Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Gabinete de Bolsonaro na Câmara tinha trocas atípicas de cargos e salários

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Análise feita pela Folha e publicada neste domingo, 5, dos 28 de Jair Bolsonaro como deputado federal aponta para movimentações atípicas entre seus assessores: trocas de cargos, exoneração com recontratação no mesmo dia, mudança salarial que chegava ao triplo do valor e, pouco tempo depois, eram reduzidos, por exemplo.

O presidente Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro Foto: Marcos Corrêa/PR

De acordo com a reportagem, nove ex-assessores de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) envolvidos na investigação de “rachadinha” na Assembleia do Rio de Janeiro passaram antes pelo gabinete do pai em Brasília, seis dos quais com alterações expressivas de salário. Uma dessas pessoas é a filha de Fabrício Queiroz, Nathália.

Um exemplo que chama a atenção é o caso de Patrícia Cristina Faustino de Paula, que depois ingressou no gabinete do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ). Ela foi registrada por Jair Bolsonaro em 2008 e sofreu 20 alterações de cargo. Entrou com um dos mais baixos contracheques, menos de R$ 1.000, atingiu R$ 8.040 em 2012, mas depois figurou na menor remuneração do gabinete (R$ 845), em setembro de 2013.