Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Gilmar cita ‘potencial facínora’ de Janot

Equipe BR Político

Depois de emitir nota em que recomenda que o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot busque “ajuda psiquiátrica”, o ministro do STF Gilmar Mendes está aproveitando o caso para reafirmar seus antagonismos ao ex-PGR, além de levantar dúvidas sobre sua capacidade. Apesar de sempre ter sido crítico aos métodos do ex-PGR, o ministro diz que não imaginava que houvesse um “potencial facínora” no comando da instituição.

Em entrevista à imprensa após evento em Brasília, Gilmar afirmou que a atuação do procurador enquanto esteve à frente da PGR precisa ser revista. “Denúncias, investigações, e tudo o mais. É isso que tem que ser analisado pelo País”, disse. “Eu entendo que, na verdade, elas foram feitas por um tipo de pessoa com essa qualidade psicológica, com essa personalidade e por isso elas precisam ser analisadas a partir dessa perspectiva”, respondeu Gilmar, que disse não cogitar tomar alguma medida judicial contra o ex-procurador, segundo o Broadcast Político.

Na mesma semana em que Augusto Aras tomou posse como novo PGR e recebeu críticas por ter alcançado o posto sem ter passado pela lista tríplice, Gilmar também não deixou passar a oportunidade de questionar o método de indicação ao cargo. Em 2013 e 2015, Janot foi o nome mais votado da lista.“Depois de 88 é que se tornou essa coisa corporativa e introduziram-se essas escolhas inclusive de figuras como o procurador Janot, com essas qualidades que os senhores viram”, afirmou Gilmar.