Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Gilmar rejeita pedido de Eduardo para suspender CPMI das fake news

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O ministro do STF Gilmar Mendes rejeitou na manhã desta quinta-feira, 30, uma ação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (SP) que pedia a suspensão da prorrogação da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das fake news.

Desde quando passou a funcionar, em abril do ano passado, a CPMI das fake news tem preocupado o Planalto. No decorrer dos trabalhos, o governo Bolsonaro e alguns de seus membros passaram a ser alvos da CPMI. Diversos requerimentos de informações têm mirado o chamado “gabinete do ódio”, que seria comandado pelo vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente.

O deputado Eduardo Bolsonaro

O deputado Eduardo Bolsonaro Foto: Jane de Araújo/Agência Senado

A CPMI foi instalada em setembro do ano passado com o objetivo de apurar, no período de 180 dias, “ataques cibernéticos que atentassem contra a democracia e o debate público”. No início deste mês, no entanto, a Mesa Diretora apresentou as assinaturas suficientes para a sua prorrogação, devido aos debates estarem sendo prejudicados por conta da pandemia. O requerimento foi lido e enviado para publicação, sendo que a comissão agora pode funcionar até 24 de outubro.

Na ação proposta por Eduardo, o filho do presidente argumenta que, no decorrer das sessões, os objetivos da CPMI foram “desvirtuados”.