Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Gleisi rebate Ciro: ‘Fugiu porque não aceitou o jogo democrático’

Equipe BR Político

Após Ciro Gomes (PDT-CE) acusar o PT de querer associá-lo à prevista derrota eleitoral no segundo turno da eleição do ano passado com a ideia de tê-lo no palanque de Fernando Haddad, a presidente do partido, Gleisi Hoffmann (PR), repetiu que ele fugiu para Paris porque “não aceitou o jogo democrático”. Na ocasião, o pedetista deixou um vídeo gravado de apoio ao petista e zarpou para Portugal.

A deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), presidente nacional do PT

A deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), presidente nacional do PT. Foto: Leonardo Benassatto/Reuters

Gleisi afirma que foi esse jogo democrático o responsável pela ida de Haddad, não dele, Ciro, ao segundo turno. “Respeite ao menos o eleitor, Ciro”, escreveu a deputada no Twitter. Quem também não concorda com as regras do “jogo” jogado pelo PT em 2018 é o governador da Bahia, Rui Costa, que em entrevista à Veja desta semana afirma que “o certo” era seu partido ter apoiado Ciro naquele pleito. “Essa não é uma opinião que dou com a partida já encerrada. Eu e o ex-governador Jaques Wagner defendemos naquele momento a ideia de que o PT deveria ter um candidato de fora do partido caso houvesse o impedimento do ex-presidente Lula”, reiterou.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Gleisi HoffmannCiro GomesRui CostaPT