Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Governo de SP trata Ginásio do Ibirapuera como ‘velho e ultrapassado’

Cassia Miranda

Exclusivo para assinantes

Na tentativa de privatizar o espaço, o governo de São Paulo trata o Ginásio do Ibirapuera como “velho e ultrapassado”. Na última terça, 1, o governo apresentou um projeto que prevê a concessão do espaço à iniciativa privada e a substituição do complexo esportivo por um “centro comercial e de entretenimento e de gastronomia” chamado de Complex Ibirapuera.

“São Paulo vai ganhar a mais moderna arena de esportes e entretenimento da América Latina, no lugar do velho e ultrapassado Ginásio do Ibirapuera. Conheça agora mais detalhes da nova e tecnológica arena esportiva: Ibirapuera Complex”, diz texto compartilhado pela assessoria do tucano no WhatsApp em que repassa informações à imprensa.

Ontem, o Ministério Público de São Paulo informou que analisa restrições que invisibilizariam a transformação do Ginásio do Ibirapuera no “complex” desejado por Doria. No início da semana, o Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat), órgão estadual que decide sobre o tombamento bens no Estado, rejeitou a abertura de um processo de tombamento do Complexo Desportivo Constâncio Vaz Guimarães, no Ibirapuera. Foi essa decisão que  liberou o caminho para que a estrutura seja concedida à iniciativa privada e passe por um amplo processo de reformulação.

O plano do governo Doria é que o espaço passe por “renovação” e “reciclagem tecnológica”. A ideia é fazer com que o complexo  se torne “a maior e mais moderna arena multiuso da América Latina. O espaço passaria a receber shows, além de o projeto prever a construção de uma área de estacionamento, shopping, hotel e cinema, por exemplo.

O governo estadual calcula que todo o processo de renovação custe cerca de R$ 1 bilhão à iniciativa privada.