Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Governo lança Médicos pelo Brasil, novo Mais Médicos

Equipe BR Político

O governo anunciará nesta quinta-feira, 1, a sua versão do programa Mais Médicos, que será rebatizado de Médicos pelo Brasil. Dentre as principais diferenças com relação ao antecessor, que foi lançado durante o governo da ex-presidente Dilma Rousseff, estão a ausência de profissionais cubanos e a exigência de um processo seletivo para os interessados em participar do programa. Além disso, a partir de agora, os médicos terão vínculo empregatício via CLT. Oficializado na quarta-feira, 31, o programa terá capacidade de contratação para 20 mil médicos da saúde da família, segundo o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Ele diz, ainda, que o Médicos pelo Brasil terá como foco os municípios com maior dificuldade de acesso à saúde. “Vamos colocar prioritariamente nas cidades de maior dificuldade. Não por critério político”, disse, segundo O Globo. “Onde tem os indicadores, vamos para lá. E pode ter certeza que é onde os indicadores são mais frágeis”.

O Mais Médicos foi encerrado em novembro de 2018. Com o fim do programa, cerca de 28 milhões de pessoas tiveram seu acesso à saúde básica drasticamente limitado, segundo a Confederação Nacional de Municípios, e muitos profissionais estrangeiros permaneceram no Brasil. Sobre a possibilidade de serem inseridos no “Médicos pelo Brasil”, Mandetta afirma que isso é uma questão do MEC, já que seria necessário que o Ministério da Educação validasse os diplomas em medicina dos estrangeiros. “Neste primeiro momento, o programa está sendo lançado com o que a lei brasileira me permite hoje, com médicos com inscrição no Conselho Regional de Medicina. Essa questão de reconhecimento de diploma é do MEC”.

Tudo o que sabemos sobre:

SaúdeLuiz Henrique MandettaMais Médicos