Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Governo pode devolver terras da reforma agrária

Equipe BR Político

O governo prepara uma ação para fechar acordos de conciliação com fazendeiros que questionam na Justiça a tomada de suas terras para a reforma agrária e pode vir a devolver terras desapropriadas para antigos donos. São casos em que ainda há conflito por conta de os proprietários defenderem que o espaço é produtivo e não deveria ser desapropriado. Há casos em que argumentam que receberam pouco pelos terrenos.Segundo o secretário de Assuntos Fundiários do Ministério da Agricultura, Luiz Antônio Nabhan Garcia, o objetivo é iniciar a investida ainda neste semestre. Com isso, será possível “destravar” investimentos no campo e a reforma agrária de Bolsonaro, diz ele.

Nabhan é aliado de Bolsonaro desde a campanha e um de seus principais conselheiros na área rural. Ele é presidente licenciado da União Democrática Ruralista (UDR), que rivaliza com o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-terra (MST), o principal atingido com a medida. No período da transição, ele chegou a declarar que não teria “nenhum tipo diálogo com o MST“.  Segundo o secretário, ainda é preciso um acerto com a equipe econômica para garantir recursos mínimos para o começo do mutirão. A coordenadora nacional do MST, Kelli Mafort, diz que espera um esclarecimento “técnico” sobre a proposta. “A meu ver, não resolve o problema, mas aumenta o conflito, porque desconsidera os possíveis beneficiados, que são as famílias”, afirma. Hoje, o País tem cerca de 975 mil famílias assentadas. Mas só uma parcela pequena recebeu o documento que dá direito à propriedade definitiva da terra, segundo o Ministério da Agricultura, de acordo com o Estadão.