Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Governo quer mandar Previdência para o Senado sem alterações

Equipe BR Político

Após a aprovação do texto-base da reforma da Previdência em segundo turno na Câmara na madrugada desta quarta-feira, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o governo prefere que o texto aprovado seja votado, sem alterações, no Senado. A ideia é evitar que a proposta volte à Câmara. Ainda precisam ser votados pelos deputados 7 destaques que alteram o texto-base da reforma, antes que ela possa ser encaminhada ao Senado. “O que a gente pretende, eu pretendo, mas eu cedo — a equipe econômica ela pensa ao contrário — é que o que sair da Câmara vamos tentar aprovar no Senado em havendo lá concordância porque, se não, volta para a Câmara”, disse Bolsonaro. O presidente estima que a proposta irá para o Senado ainda nessa semana, segundo o Broadcast Político.

Os senadores e governadores dos Estados estão articulando uma PEC paralela à da reforma para incluir Estados e municípios na proposta. Ontem, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), também mencionou a possibilidade de a PEC paralela reintroduzir o sistema de capitalização, que foi retirado da proposta original no Congresso.