Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Governo requisita estoques de agulhas e seringas de fabricantes nacionais

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Uma semana após obter fornecedores para apenas 3% do total de seringas e agulhas necessárias garantir a vacinação contra a covid-19 no País, o Ministério da Saúde decidiu fazer uma requisição administrativa, na forma de lei, dos estoques nacionais de excedentes desses produtos. O objetivo é garantir material suficiente para iniciar o plano de vacinação, que ainda não tem data para começar.

A indústria nacional de produtos hospitalares alerta o governo desde julho sobre a necessidade de planejar a compra desses insumos. Foto: Sammer Ai-Doumy/AFP

A informação foi confirmada, em nota, pelo Ministério da Saúde, nesta terça-feira, 5. A pasta afirma que está “aguardando confirmação das quantidades disponíveis em estoque” no Brasil.

Segundo o ministério, a medida atinge fabricantes representados pela Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos e Odontológicos (Abimo) e ocorre “enquanto não se conclui o processo licitatório normal, que será realizado o mais breve possível”.

De um total de 331 milhões unidades previstas para serem adquiridas em pregão eletrônico realizado em 20 de dezembro, o governo conseguiu fornecedor para apenas 7,9 milhões.