Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Governo vai fiscalizar beneficiários do Bolsa Família com irregularidade nas eleições

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Foram definidas as regras de fiscalização por parte do Ministério da Cidadania de beneficiários do Bolsa Família que tenham tido alguma atuação irregular nas eleições municipais de 2020. A partir de fevereiro, pessoas que tenham sido identificadas nessas situações podem ter seus benefícios bloqueados para averiguação e, em alguns casos, podem ter os benefícios cancelados.

De acordo com documento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgado ainda no primeiro turno das eleições do ano passado, um total de 1.227 pessoas efetuaram doações a candidatos de R$ 573 mil, mesmo estando inscritas em programas sociais. Além disso, o TSE identificou 1.289 fornecedores de campanhas eleitorais que possuem em seu quadro de sócios beneficiários do Programa Bolsa Família.

A definição do Ministério da Cidadania está publicada em instrução normativa no Diário Oficial da União (DOU) de hoje e “estabelece os procedimentos a serem adotados pelas gestões municipais para a verificação e o tratamento dos casos de famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família que apresentem em sua composição doadores de recursos financeiros, prestadores de serviços a campanhas eleitorais, candidatos a cargos eletivos com patrimônio incompatível com as regras do programa ou candidatos eleitos”.