Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Greenpeace diz que fala de Bolsonaro é ‘violenta e inaceitável’

Cassia Miranda

Exclusivo para assinantes

Em resposta à declaração feita ontem pelo presidente Jair Bolsonaro sobre não conseguir “matar” as ONG’s ambientais, às quais chamou de “câncer”, o Greenpeace classificou a fala como “violenta e inaceitável”. Em nota, nesta sexta-feira, 4, a organização internacional afirmou que o comentário do chefe do Executivo “só demonstra que ele não está disposto a tomar qualquer tipo de ação efetiva para evitar que a Amazônia seja destruída e que não está à altura da responsabilidade do cargo que ocupa”, diz trecho.

Judeu ultraortodoxo observa a faixa gigante instalada pelo Greenpeace na frente do hotel onde o presidente Jair Bolsonaro está hospedado em Jerusalém Foto: Ohad Zwwingenberg / AFP

Em live pelas redes sociais na noite de quinta, 3, Bolsonaro disse: “Você sabe que as ONGs, em grande parte, não têm vez comigo. (Eu) boto para quebrar em cima desse pessoal lá, não consigo matar esse câncer, em grande parte, chamado ONG”. Na sequência, ainda ironizou as queimadas na floresta amazônica e rejeitou a possibilidade de ampliar a demarcação de terras indígenas no País.

Essa não é a primeira vez que Bolsonaro cria polêmica ao falar de ambientalistas. Como você leu no BRP, no ano passado, ele insinuou que “ongueiros” seriam os responsáveis pelo aumento das queimadas na Amazônia.

“O presidente prefere atacar aqueles que defendem a floresta e seus povos e negar a ciência, a crise climática, a pandemia do coronavírus e a democracia”, diz trecho da nota do Greenpeace. “Enquanto busca culpar terceiros pelo estrago da sua própria política, a floresta queima e a imagem brasileira se desintegra internacionalmente. Agindo assim, o presidente age contra o povo e o patrimônio dos brasileiros”, completa.

O Greenpeace conclui a nota dizendo que “os dados dos satélites mostram quem é o verdadeiro câncer da floresta. Bolsonaro pode tentar, mas não conseguirá matar a esperança dos brasileiros que lutam em defesa da vida e da floresta em pé”.

Tudo o que sabemos sobre:

Jair BolsonaroGreenpeacecâncermatarONG`g