Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Grupo do Haiti amplia espaço no governo

Equipe BR Político

Quando estive em Brasília para uma rodada de conversas com integrantes do governo, no mês passado, me chamou a atenção um traço distintivo dos generais que ascenderam a postos importantes sob Jair Bolsonaro: quase todos serviram na missão de paz da ONU comandada pelo Brasil no Haiti. Peixoto, 65 anos, comandava a missão quando um terremoto devastou o País, em 2010. No dia da tragédia, ele estava nos Estados Unidos.

Dois jornais destacam a importância da missão no Haiti para unir um grupo do Exército que agora ganha força no governo Bolsonaro. Reportagem de O Globo destaca que, com a nomeação de Peixoto para a Secretaria-Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni será o único civil a ter cargo no primeiro escalão no Planalto. O Valor mostra que os três ministros militares do Planalto (Augusto Heleno, Floriano e Carlos Alberto Santos Cruz) integram a “turma do Haiti“, da qual também faz parte o porta-voz, general Otávio do Rêgo Barros.