Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Guedes admite resistência contra 13º do Bolsa Família

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O ministro Paulo Guedes admitiu nesta sexta, 18, que o governo não encaminhou proposta de pagamento do 13º do Bolsa Família em 2020 para não cometer um crime de responsabilidade. O debate sobre o assunto abriu ontem nova crise entre o presidente Jair Bolsonaro e Rodrigo Maia, que foi acusado de não pautar o tema na Câmara de propósito para deixar a MP caducar. O deputado, na sequência, chamou o presidente de mentiroso sob o argumento de que foi o próprio governo a parte desinteressada, o que se confirma com a declaração de hoje de Guedes.

O ministro Paulo Guedes apresenta balanço da pasta. Foto: Edu Andrade/Ascom/ME

“Sou obrigado, contra minha vontade, a recomendar que não pode ser dado o 13º do Bolsa Família”, disse Guedes em entrevista coletiva virtual para apresentar um balanço de fim de ano. “É lamentável, mas precisa escolher entre um crime de responsabilidade (13º) e a lei.”

O benefício natalino foi pago pela primeira vez em 2019. Caso, no entanto, pagasse pelo segundo ano seguido, Guedes disse que isso configuraria uma despesa permanente, exigindo uma compensação por meio de corte de outra despesa ou aumento permanente de receitas. Esse corte, segundo ele, não foi possível “pelo pandemônio da pandemia”.

“Se der 13º do Bolsa pelo segundo ano seguido, é crime de responsabilidade porque não houve provisão”, disse o ministro.