Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Guedes contra Pró-Brasil: ‘São às vezes ministros querendo aparecer’

Alexandra Martins

Exclusivo para assinantes

Logo abaixo começa a primeira participação do ministro Paulo Guedes na reunião do #22A após o ministro Braga Netto justificar o “real” objetivo do plano Pró-Brasil, que não passa pela “solução do problema” (pandemia), tal como dito:

“Mas o foco não é em … na solução do problema. O foco, hoje, de uma maneira geral, é quem é o culpado, né? E nós queremos real. .. recolocar, é … é … rem … vamos dizer assim, readequar isso aí para como o governo deve reagir a este problema para achar uma solução para os dois, as duas consequências negativas que ocorrem.”

  • Só depois, Paulo Guedes fala:

“Agora, não vamos nos iludir. A retomada do crescimento vem pelos investimentos privados, pelo turismo pela abertura da economia, pelas reformas. Nós já estávamos crescendo.”

“Voltar uma agenda de trinta anos atrás, que é investimentos públicos financiados pelo governo, isso foi o que a Dilma fez trinta anos. Então tá cheio de gente pensando nessa eleição agora, e botando coisa na p … na cabeça do … do … de todo mundo aqui dentro, que são governadores querendo fazer a festa, são às vezes ministros querendo aparecer, tem de tudo.”

“Se a gente quiser acabar igual a Dilma, a gente segue esse caminho.”

“Então eu tenho que dar esse recado, nós vamos estar à disposição, nós vamos ajudar tudo, mas nós não podemos nos iludir.”

“o seguinte. Quanto é cê consegue, Tarcísio? Passar de cinco bi para quanto? Pra quinze, pra vinte, pra trinta? Multiplicou por seis. Quanto é que você consegue de … de investimento em concessões?”

  • Tarcísio Gomes de Freitas responde:

“Duzentos e cinquenta”