Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Guedes e Marinho reiteram benefícios aos ‘mais pobres’

Equipe BR Político

O ministro da Economia Paulo Guedes e secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, insistiram que a reforma da Previdência beneficiará os mais pobres, durante sessão na Comissão Especial da Reforma da Previdência, nesta quarta, 8, numa tentativa de rebater o principal argumento da oposição, que alega o contrário. “A velha Previdência é uma fábrica de privilégios. É uma máquina perversa de transferências de renda. Mais de 80% dos brasileiros se aposentam com menos de 2 salários mínimos”, disse o ministro. Guedes, inicialmente, repetira que o Legislativo se aposenta, pelas regras atuais, ganhando 20 vezes mais do que o trabalhador que contribui no INSS. O ministro, depois, acrescentou que referia-se aos funcionários do Legislativo, e não aos parlamentares ali presentes. “Os senhores terão completo poder de decisão sobre reforma. Faço um apelo, nossa equipe está aqui e vai abrir os números”, pediu aos deputados.

Em sua fala, Marinho também aponta que os gastos com o sistema previdenciário atual impedem, segundo ele, que o governo invista em áreas como educação e saúde, que auxiliam a população mais necessitada. “As crianças são as mais fragilizadas. O cobertor é curto e está ficando cada vez mais curto”. O secretário também ressaltou que os que ganham um salário menor precisam trabalhar durante mais tempo, em comparação com quem tem renda superior. “Os mais pobres se aposentam em média 10 anos depois dos mais ricos”, disse.