Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Guedes: ‘Se os EUA estiverem cansados, dançamos com os chineses’

Equipe BR Político

O ministro da Economia, Paulo Guedes, não gostou das acusações feitas pelo presidente americano, Donald Trump, de que o Brasil estaria desvalorizando artificialmente o câmbio nacional, como forma de aumentar as exportações. “Nós só mudamos o nosso mix macroeconômico. Agora, em vez de fiscal frouxo e freio monetário, com câmbio supervalorizado derrubando as exportações, o Brasil caiu numa posição correta”, disse o ministro, em entrevista publicada nesta quarta, 4, pelo site O Antagonista. E acrescentou:  “Quando declaramos aliança com os americanos, dissemos que íamos dançar com todo mundo. Se eles estiverem cansados de dançar, dançamos com os chineses, com os europeus”.

Como você tem acompanhado aqui no BRP, Trump afirmou que restaurou as tarifas de importação sobre o aço e o alumínio do Brasil. Guedes afirmou que ficou surpreso com a medida, já que, disse, mantém boas relações com os assessores econômicos da Casa Branca. Ele acredita que a equipe econômica não foi consultada antes do anúncio da medida feito por Trump no Twitter. “Eu tenho tido uma excelente conversa com o (Secretário de Comércio dos EUA) Wilmour Ross, com o (diretor do Conselho Econômico Nacional) Larry Kudlow numa reunião com CEOs de empresas americanas e brasileiras na semana passada. E, de repente, ele (Trump) deu esse tiro para cima e falou o que falou”.

O ministro brasileiro defendeu uma maior aproximação comercial com países dos Brics (grupo composto por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), especialmente com os indianos. Segundo o economista, o “eixo de crescimento do mundo, hoje, está do lado de lá (Ásia).