por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Hacker do CNMP: ‘Acesso quem eu quiser’

Marcelo de Moraes

O hacker que invadiu a conta do Telegram de um dos integrantes do Conselho Nacional do Ministério Público afirmou ser a mesma pessoa que acessou as mensagens de integrantes da Lava Jato. Em mensagem enviada ao grupo em nome do conselheiro Marcelo Weitzel, o hacker diz que acessou “a Lava Jato pois havia irregularidades que a população, inclusive vocês, deveriam saber”. Disse também: “Eu acesso quem eu quiser, quando eu quiser”.

Na mensagem, o suposto hacker diz que só teria acessado a conta de Telegram de Marcelo Weitzel para “mostrar que não sou como a mídia diz, que liga para o telefone com número internacional e tampouco com o mesmo número (vide fake news do Moro). Eu acesso quem eu quiser, quando eu quiser e pode ter verificação em 10 etapas”. O suposto hacker termina esta mensagem dizendo que não obteve “dados pessoais de ninguém”, “apenas o cloud do Telegram”. Abaixo a íntegra da mensagem que foi enviada no grupo do CNMP / Marcelo de Moraes

Tudo o que sabemos sobre:

Marcelo WeitzelTelegramhackerLava Jato