Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Haddad a Bolsonaro: ‘Mentiroso compulsivo’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O ex-candidato à Presidência pelo PT, Fernando Haddad, usou o Twitter nesta quarta-feira, 13, para comentar sobre a gravação e a versão do presidente Jair Bolsonaro sobre a reunião ministerial do último dia 22 de abril. O material é apontado pelo ex-ministro Sérgio Moro como prova de que o chefe do Executivo tentou interferir na Polícia Federal.

O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad

O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad. Foto: Gabriela Biló/Estadão

“Se Bolsonaro afirma que não mencionou a PF na reunião ministerial e que a cobrança foi a Heleno e não a Moro, por que ele não demitiu o general ao invés de demitir o diretor-geral da PF? O mentiroso compulsivo tem sempre que recorrer a uma nova mentira para reafirmar a anterior”, escreveu Haddad.

Hoje pela manhã, o presidente voltou a repetir que não citou a PF nem a superintendência do Rio de Janeiro durante a reunião. Segundo o presidente, no encontro ele fez cobranças sobre sua segurança pessoal no Rio de Janeiro e não citou Moro. Ele lembrou que sua segurança é feita pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI). “A PF não faz minha segurança pessoal. Quem faz é o GSI.” Mas não deixou claro que tenha dirigido a cobrança ao ministro-chefe do GSI, Augusto Heleno, e disse que não entraria me detalhes.

Tudo o que sabemos sobre:

Jair BolsonaromentirosoFernando Haddad