Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Heleno: ‘Chamar o presidente de fascista é ridículo’

Equipe BR Político

O encontro entre as 20 maiores economias do mundo, o G-20, que começa a partir de sexta-feira, 28, em Osaka, no Japão, vai ser usado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) como vitrine para tentar mudar sua imagem internacional, segundo afirma o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional Augusto Heleno. Um dos pontos mais criticados pelo general foi o rótulo de fascista dado a Bolsonaro. “Ele quer apresentar a imagem correta dele, que foi muito deturpada por uma imprensa que fazia questão de colocar o presidente como fascista até, né? Então, ele quer mostrar a verdadeira face”, disse a jornalistas brasileiros no início da primeira noite da delegação oficial em Osaka. “Isso é ridículo. Chamar o nosso presidente de fascista é simplesmente ridículo. É uma falta até, no mínimo, de análise”, reforçou.

O general admitiu, porém, que a mudança de imagem não é algo que acontece de maneira célere. “Isso não transforma em um dia e nem em um discurso”, constatou. Sobre os encontros que começam amanhã, Heleno disse que Bolsonaro vai apresentar “muitas coisas” do ponto de vista econômico, mas não detalhou quais. A intenção, segundo ele, é mostrar que a intenção do Brasil é ter o respeito mundial e a capacidade de fazer acordos multilaterais que sejam benéficos para o País, segundo o Broadcast Político.

Tudo o que sabemos sobre:

Jair Bolsonaroaugusto helenoimagemG-20