Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Hildo avalia debate sobre ‘imposto único’ desidratado

Gustavo Zucchi

Ainda sem saber direito o que será a proposta do governo sobre reforma tributária, o presidente da Comissão Especial que debaterá a PEC, Hildo Rocha (MDB-MA), classificou a ideia de um imposto único sobre todas as transações financeiras como “muito radical”, mas avalia que uma substituição dos impostos sobre folha por “algo parecido”com uma taxação sobre operações financeiras pode ser debatido pelos deputados. “Precisa ver o que eles vão mandar. Acho que vão mandar o IVA (imposto sobre valor agregado) federal e essa questão do fim do imposto sobre folha e vão colocar no lugar algo parecido com isso aí (o imposto único), afirmou. “Com uma alíquota pequena podemos debater, mas não garanto que seja aprovado.”

“Este tipo de tributo sobre pagamento era muito injusto. Quando foi testada em uma coisa menor, como era a CPMF era muito injusta. Um imposto assim tributa até prejuízo”, disse. “O imposto único pode até ser bom, mas não foi testado.” Rocha espera que a primeira sessão da CE seja realizada no dia 13 de agosto, quando deve ser definido um plano de trabalho com o número de audiências públicas. O presidente Jair Bolsonaro avisou que a proposta do governo sobre o tema deve ser enviado no começo de agosto e admitiu que a criação de um “imposto único” é algo muito complicado de ser aprovado./G.Z 

 

Tudo o que sabemos sobre:

Hildo RochaMDBReforma tributária