Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Huck vira alvo do MMA lulobolsonarista

Vera Magalhães

E no primeiro dia da volta dos lulopetistas e bolsonaristas ao ringue, Luciano Huck, que apenas começa a colocar a cabeça para fora como um possível competidor de centro em 2022, já foi atingido por uma escaramuça.

Uma empresa, a Brisair, da qual o apresentador e sua mulher, Angélica, são dois dos sócios, é, por sua vez, sócia com 50% de uma aeronave que faz parte da frota de táxi aéreo de outra empresa, a Icon, que detém o restante do jatinho. Pois essa aeronave foi fretada, e não cedida, por alguém para transportar o ex-presidente Lula de Curitiba a São Bernardo.

Imediatamente começaram manchetes ligando Huck a Lula. “Lula usou jatinho de Huck”, dizia uma delas. Outra: “Lula chega a São Paulo em jatinho de Luciano Huck”. O que os enunciados sugerem, e a proliferação das redes sociais se encarrega de disseminar, de maneira falsa, é que o apresentador emprestou um avião para o petista –como a insinuar simpatia de um em relação ao outro, como forma de minar sua ascensão junto a um eleitorado antipetista.

Era evidente que a polarização nos extremos seria a consequência da decisão do STF que levou à soltura de Lula. Que isso ocorra tão rápido e de forma tão rasteira é sinal de que serão três anos duros até a próxima eleição, cuja campanha já está na rua.