Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Human Watch: Grilagem e matança por trás do desmatamento

Equipe BR Político

Uma das maiores ONGs dedicadas à defesa dos direitos humanos, Human Rights Watch, publicou o relatório de 165 páginas Máfias do ipê: como a violência e a impunidade impulsionam o desmatamento na Amazônia brasileira nesta terça, 17, em que relaciona o desmatamento na região a uma rede criminosa de grilagem que explora, especialmente, a madeira, tendo indígenas, agricultores, agentes públicos e até policiais sob ameaça de morte.

Segundo o documento, 300 pessoas foram assassinadas em conflitos de disputa de terra na região na última década, sendo que apenas 14 delas foram julgadas. Quase a totalidade das vítimas denunciava a ação de diversas máfias que exploram ilegalmente o bioma. De 40 ameaças de morte, apenas 1 teve denúncia criminal. Quanto ao aparato institucional, houve queda de 1.600 para 780 fiscais do Ibama no período pesquisado, com destaque para a precariedade fiscalizatória no Pará, hoje com apenas 8 inspetores para tomar conta de uma área do tamanho da França.

A entidade propõe, dentre várias ações, a criação de uma CPI para tentar identificar os criminosos por trás das máfias. Um tronco de ipê, por exemplo, pode ser comercializado por valores que variam de R$ 2 mil a R$ 6 mil.