Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Ibama e ICMBio podem paralisar por falta de verba

Equipe BR Político

O congelamento orçamentário imposto ao Ministério do Meio Ambiente (MMA) neste ano colocou o Ibama e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) sob risco de ficarem de bolsos vazios para encerrar as atividades de 2019. É o que indica uma análise dos valores disponíveis e do que já foi empenhado neste ano pelos dois órgãos ligados, que recebem a maior fatia dos recursos da pasta.

Membro da equipe do Ibama combate chamas na região amazônica

Membro da equipe do Ibama combate chamas na região amazônica. Foto: Gabriela Biló/Estadão

Restam para as ações de fiscalização do Ibama até o fim do ano pouco menos de R$ 19 milhões. Os dados, obtidos pelo Estado no Sistema Integrado de Planejamento e Orçamento (Siop), da Secretaria de Orçamento Federal, foram levantados na quarta-feira, 11.

Desde o início da gestão, o governo Bolsonaro empenhou pouco mais de R$ 68 milhões – média de R$ 8,5 milhões por mês para as ações de fiscalização do Ibama. Com base nesse cálculo, o que resta em caixa cobre apenas mais dois meses de fiscalização de crimes ambientais, como desmatamento.

O MMA acredita que há possibilidade de que parte dos recursos parados sejam deslocados. O ministério informou ao Estadão que os valores bloqueados dos dois órgãos estão em fase de negociação com a área econômica do governo, “que já sinalizou com a possibilidade de liberação de limites” ainda em setembro. A pasta disse ainda estar reavaliando contratos, para reduzir seus gastos.