Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

IBGE: Negros seguem sub-representados no Legislativo

Equipe BR Político

No estudo divulgado pelo IBGE nesta quarta-feira, 13, a respeito da desigualdade racial no Brasil, o instituto constata que a população negra permanece sub-representada nas casas do Legislativo brasileiro – mesmo representando, proporcionalmente, uma parcela alta dos candidatos. Uma das razões que levam à sub-representatividade é o fato de que candidatos brancos, em geral, recebem mais dinheiro para suas candidaturas.

Nas eleições legislativas realizadas entre 2014 e 2018, negros e pardos representaram 41,8% dos candidatos aos cargos de deputado federal; 49,6% dos candidatos a deputado estadual; e 48,7% dos candidatos a vereadores. No entanto, foram eleitos apenas 24,4% de negros e pardos aos cargos de deputados federais, 28,9% aos cargos de deputados estaduais (eleitos em 2018) e 42,1% aos cargos de vereadores (eleitos em 2016). Lembrando que negros e pardos representam 55,9% da população brasileira.

O instituto aponta também que as mulheres negras são ainda menos representadas: em 2018, as mulheres pretas ou pardas constituíram 2,5% dos deputados federais e 4,8% dos deputados estaduais eleitos e, em 2016, 5,0% dos vereadores.

Uma das razões para a discrepância é o dinheiro que recebem os candidatos. Enquanto 9,7% das candidaturas a deputado federal de pessoas brancas nas eleições dispuseram de receitas iguais ou superiores a R$ 1 milhão, apenas 2,7% dos candidatos pretos ou pardos contaram com R$ 1 milhão ou mais.

Tudo o que sabemos sobre:

desigualdade racialracismoCongressoIBGE