Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Ibope: Covas cresce; Boulos, Russomanno e França disputam segundo lugar

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Enquanto o candidato Celso Russomanno (Republicanos) consolida o seu derretimento e cai para 12% das intenções de voto, o prefeito Bruno Covas (PSDB) cresceu seis pontos na pesquisa Ibope/TV Globo/Estadão divulgada nesta segunda-feira, 9, atingiu 32% das intenções em São Paulo e aumentou mais ainda a margem na liderança. A disputa pelo segundo lugar na Capital paulista agora tem um empate técnico acirrado entre Guilherme Boulos (PSOL), com 13%, Russomanno e Márcio França (PSB), que registrou 10%.

Candidatos à Prefeitura de São Paulo

Os candidatos Celso Russomanno (Republicanos), Bruno Covas (PSDB), Guilherme Boulos (PSOL) e Márcio França (PSB)

Covas, que no início da campanha dividia o primeiro lugar com Russomanno, agora tem um isolamento confortável, com 19 pontos na frente de Boulos, adversário mais próximo. Com o cenário, a maior disputa se dará em torno da segunda vaga para ir ao próximo turno da eleição.

Jilmar Tatto aparece na pesquisa com 6% das intenções, empatado tecnicamente com Arthur do Val (Patriota), que tem 5%. Depois vem Joice Hasselmann (PSL), com 2%. Andrea Matarazzo (PSD), Levy Fidelix (PRTB) e Orlando Silva (PCdoB) se mantiveram com 1%. Marina Helou (Rede), Vera Lúcia (PSTU) e Antonio Carlos (PCO) registraram menos de 1%.

Corrida ao 2º turno

Apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro em uma tentativa de fazer oposição ao tucanato, Russomanno viu uma queda de suas intenções de voto pela metade desde o início da campanha. Na primeira pesquisa da série do instituto, em 2 de outubro, o candidato registrava preferência de 26% do eleitorado. 

Com o seu derretimento, Boulos e França, que vinham em tendência de alta, mas estagnaram nas últimas pesquisas passaram a brigar pela vaga do segundo lugar.

Como você leu no BRP, a estratégia planejada pela campanha de Russomanno para a última semana antes do primeiro turno envolve um apelo ainda maior ao eleitor bolsonarista. Boulos deve intensificar o trabalho nas periferias e França quer se colocar como “terceira via” ao centro. Já a campanha de Covas deve continuar na mesma toada de antes.