Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Ida de Bolsonaro a NY está liberada pelo departamento médico

Cassia Miranda

O presidente Jair Bolsonaro está liberado pela equipe médica do cirurgião Antônio Macedo para viajar na próxima segunda-feira, 23, a Nova York. Na manhã desta sexta-feira, 20, o presidente passou uma série de exames no Hospital DF Star, em Brasília. De acordo com o boletim médico, Bolsonaro encontra-se em “excelentes condições clínico-cirúrgicas”. Na última terça, a viagem entrou num limbo duvidoso, já que foi condicionada a essa avaliação médica. O porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, disse hoje que a participação de Bolsonaro na Assembleia-Geral da ONU está “assegurada”. O presidente passa agora da dieta cremosa para a leve e em sete dias deverá se submeter a uma nova avaliação clínica.

De acordo com o médico, alguns cuidados que durante a viagem precisarão ser tomados. Por se tratar de um tempo de voo longo, cerca de dez horas, “o principal risco é sempre o vascular”, explicou. Bolsonaro segue fazendo uso de uma meia elástica e precisará continuar as aplicações diárias de injeção de anticoagulante. As recomendações para as horas de voo são para que Bolsonaro caminhe pelo avião e evite ficar sentado.

O porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, afirmou que o foco do presidente está direcionado exclusivamente para Nova York, onde ele vai “fortalecer a posição do Brasil perante a Assembleia-Geral das Nações Unidas” e, por esse motivo, o Planalto “não comentará os fatos relativos” a operação que teve o líder do governo do Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), como alvo.