Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Ideia Big Data: Mudanças na Previdência sem apoio popular

Vera Magalhães

A população não comprou o discurso do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), segundo o qual a reforma da Previdência a partir de agora é um projeto do parlamento, e não mais do governo, e se encontra dividida, sem compreender direito se as mudanças feitas na proposta original do Ministério da Economia será positiva e facilitará a aprovação da reforma. É o que mostra pesquisa telefônica feita pelo Ideia Big Data em parceria com o BR18 no dia 19, com um universo de 2.601 participantes. A margem de erro do levantamento é de 2,5 pontos percentuais.

A maior divisão foi aferida quando os entrevistados foram questionados se concordavam ou discordavam das críticas feitas pelo ministro Paulo Guedes às mudanças no texto original da reforma. Para 34%, Guedes está certo ao dizer que elas descaracterizam a Nova Previdência. Outros 32% discordam, e 34% disseram não saber opinar –num sinal de que a reforma ainda não está suficientemente explicada para a opinião pública. Só 25% concordam com Maia quando ele diz que a reforma agora é do parlamento, contra 35% que discordam e 40% que não opinam, o que mostra que a briga entre governo e Câmara passa ao largo da compreensão popular. A retirada de Estados e municípios da reforma, uma das principais mudanças feitas pelo relator Samuel Moreira, foi mal recebida: 47% discordam que isso ajudará na aprovação do texto, contra 33% que concordam e 20% que não se manifestaram. /