Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Insistência na cloroquina piora imagem de Bolsonaro

Vera Magalhães

Exclusivo para assinantes

A insistência de Jair Bolsonaro em estabelecer um protocolo para o uso de cloroquina e hidroxicloroquina mesmo em casos iniciais e leves de covid-19, o que levou à demissão de dois ministros da Saúde no intervalo de um mês, ajudou a desgastar a imagem de Jair Bolsonaro.

O presidente Jair Bolsonaro em meio a apoiadores no último domingo

O presidente Jair Bolsonaro em meio a apoiadores no último domingo Foto: Joedson Alves/EFE

É o que mostra estudo de percepção de imagem feito pela consultora Olga Curada com base no noticiário de 4 jornais e 4 emissoras de TV ao longo da última semana, com base na metodologia IVGR (Índice de Valor, Gestão e Relacionamento).

O índice varia de – 5 (que mostra crise aguda e sobrevivência ameaçada) a + 5 (visto como modelo). Foi estabelecido pela consultora, que já atuou em diversas campanhas presidenciais e hoje presta consultoria a várias empresas, em conjunto com a Universidade de São Carlos.

A insistência de Bolsonaro na cloroquina, com a edição, na semana passada, de um decreto tornando seu uso protocolar para casos iniciais e leves também na rede pública (SUS), reforçou os seguintes atributos do governo: negligente, irresponsável e instável. O IVGR para o tema cloroquina ficou em -4,15 na mídia impressa e -2,65 nos telejornais.

O índice geral se manteve estável em relação às semanas anteriores, em -3, o que mostra um patamar de crise que requer ações emergenciais, com situação pior nos veículos impressos (-3,10) que nos telejornais (-2,78).