Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

‘Integralistas’ reivindicam ataque ao Porta dos Fundos

Vera Magalhães

O vídeo deixa em dúvida se se trata de uma nota pretensamente séria ou se é, ele próprio, um esquete da Porta dos Fundos. Mas o fato é que começou a circular no WhatsApp e nas redes sociais uma nota em vídeo em que três pessoas aparecem com uniformes e bandeiras com o símbolo do integralismo, mascaradas, e com a tela dividida com cenas de um ataque praticado na véspera com coquetéis molotov à sede da produtora do Porta dos Fundos.

No vídeo, os “integralistas” reivindicam a autoria do atentado e o justificam pelo fato de, no especial de Natal deste ano, o grupo de humor ter satirizado Jesus Cristo e outros símbolos cristãos. O grupo se autodenomina Comando de Insurgência Popular Nacionalista da Família Integralista Brasileira. Um grupo com este nome já queimou bandeiras antifascismo num protesto no Rio.

Em seu site, a Frente Integralista Brasileira diz ter tomado conhecimento do vídeo e repudia a tentativa de associar o movimento ao ataque. Diz desconhecer o grupo em questão e que o estatuto da frente proíbe o uso de máscaras para fins de militância.

Reportagem do jornal O Globo mostra que uma câmera de segurança na produtora conseguiu captar a placa da caminhonete usada pelos perpetradores do ataque, que, de fato, estavam mascarados.