Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Investigações do caso Itaipu estão adiantadas, diz MP do Paraguai

Equipe BR Político

A investigação sobre o intrincado caso da venda de energia excedente da usina de Itaipu pelos paraguaios, envolvendo o suplente do senador Major Olímpio (PSL-SP), encontra-se em fase adiantada, segundo o Ministério Público do Paraguai, informa o Estadão. A revenda dessa energia para empresas estava prevista no pacto firmado entre Brasil e o país vizinho em 2009, desde que com a anuência da Eletrobrás, que até o momento não se pronunciou sobre o caso que quase derrubou o presidente do Paraguai.

No meio dessa história está a empresa brasileira Léros, que seria ligada à família do presidente Jair Bolsonaro, segundo a imprensa paraguaia. Isso porque, em reunião realizada em maio no Paraguai, o suplente do senador, Alexandre Giordano, participou do encontro como representante dos Bolsonaro, apesar de ele afirmar que se reuniu com os paraguaios como representante da Léros. Ele nega ter usado no encontro uma suposta influência no governo Bolsonaro para ser beneficiado nas negociações da venda da energia excedente. Entenda a cronologia do caso aqui.

Tudo o que sabemos sobre:

ItaipuMajor OlímpioAlexandre Giordano