Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Investigados pelo MP trabalharam para Bolsonaro

Equipe BR Político

Quando era deputado no Rio de Janeiro, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) empregou oito alvos da quebra dos sigilos bancário e fiscal na investigação que envolve o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), segundo o Estadão. Os nomes, que incluem uma irmã e uma prima de Ana Cristina Valle, ex-mulher de Bolsonaro, aparecem em decisão do juiz Flávio Itabaiana de Oliveira Nicolau, de 24 de abril, que listou 95 pessoas e empresas na investigação.

Um levantamento feito pelo Estadão Dados, com base em documentos obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação, mostra que a família Bolsonaro manteve, em quase três décadas de vida parlamentar, a prática de alternar a contratação de funcionários entre seus gabinetes na Câmara, em Brasília, na Alerj e na Câmara Municipal do Rio. Ao todo, 30 pessoas já passaram por mais de um gabinete de Jair Bolsonaro ou dos três filhos que têm atuação política: Flávio (que era deputado estadual no Rio), Eduardo (deputado federal pelo PSL por São Paulo) e Carlos (vereador do PSC no Rio).