Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Presidente acredita que ‘ferida’ do PSL vai ‘cicatrizar naturalmente’

Equipe BR Político

Na tentativa de minimizar o irremediável, o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira, 21, que houve um “bate-boca exacerbado” entre integrantes do seu partido, o PSL, mas que deixará a ferida cicatrizar naturalmente. A declaração do presidente foi feita em Tóquio, no Japão, onde o presidente chegou nesta manhã.

Presidente da República, Jair Bolsonaro fala com a imprensa no Hotel Imperial, em Tóquio, no Japão

Jair Bolsonaro fala com a imprensa em Tóquio. Foto: José Dias/PR

Apesar dos conflitos iniciados por uma declaração presidencial, Bolsonaro insiste que a crise política é uma “invenção” e que a confusão generalizada no partido não terá impacto na votação da reforma da Previdência amanhã no Senado. Para ele, o texto será aprovado. “Desde quando estão tentando a reforma. Que crise política? Inventaram a crise política. Não há crise nenhuma. Zero”, comentou.

Pelas ruas de Tóquio, Bolsonaro disse à imprensa que os problemas no PSL se devem ao número de novatos que compõem a sigla. “A maioria do PSL é nova na política, a maioria chega achando que sabe de tudo. Passei 28 anos ali (no Congresso) sem um cargo (no governo)”, declarou. “Problemas eu tive lá dentro (do Parlamento), mas sem chegar ao nível que um parlamentar chegou agora, com linguajar que nunca vi em lugar nenhum do mundo”, disse.

Bolsonaro afirmou ainda que as discussões fazem parte da política. Sobre possíveis sequelas dos embates públicos, respondeu que deixará cicatrizar naturalmente. “É igual uma ferida, cicatriza naturalmente”, comparou.

Tudo o que sabemos sobre:

Jair BolsonaroPSLcrise no PSLJapão