Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

João Santana diz que chapa de Ciro e Lula como vice seria ‘imbatível’

Cassia Miranda

Exclusivo para assinantes

Marqueteiro do PT nas campanhas presidências de 2006 a 2014, João Santana acredita que em 2022, uma chapa encabeçada por Ciro Gomes (PDT), que tenha o ex-presidente Lula como vice “seria imbatível”. Em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, na noite de segunda-feira, 26, ele avaliou que essa seria a candidatura de esquerda com maior chance de ser eleita.

João Santana no Roda Viva. Foto: Reprodução/Youtube

Contudo, ao comparar a opção com o caso ocorrido na última eleição na Argentina, ele racionaliza e diz que seria “impossível” de isso acontecer no Brasil. “Lula seria o melhor perfil de vice que poderia ter. Impossível ser isso (vice do Ciro), mas essa chapa seria imbatível. É imitar a solução genial eleitoral, que a Cristina (Kirchner) fez na Argentina (como ex-presidente e atualmente vice de Alberto Fernández)”, disse.

Essa foi a primeira vez que o marqueteiro concedeu uma entrevista desde a sua prisão, em 2016, por lavagem de dinheiro, no âmbito da Lava Jato.

Na avaliação de Santana, a saída da esquerda para retornar à Presidência só será viável por meio de uma união em torno do nome do pedetista. “Se as esquerdas se reunirem em torno de Ciro Gomes, Ciro Gomes pode ser um candidato extremamente viável”, disse.

Perguntado sobre o que acha sobre uma eventual candidatura do ex-juiz Sergio Moro, responsável por condená-lo na Lava Jato, nas eleições de 2022, o marqueteiro disse que “falta traquejo” ao ex-ministro do presidente Jair Bolsonaro.

“Ele não é do ramo. O Bolsonaro deu rasteiras em cima de rasteiras nele, que não faria com outros se fossem do ramo. Me parece que o Sergio Moro seria melhor como pré-candidato do que como candidato”, analisou.