Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Joice quer ser candidata em 2020 com ou sem PSL

Equipe BR Político

Líder do governo no Congresso, a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), não pretende abrir mão de ser candidata à Prefeitura de São Paulo, mesmo que isso signifique abandonar o partido do presidente Jair Bolsonaro. “Serei candidata de qualquer forma. Meu desejo é que seja pelo PSL. Se não for possível, tenho que buscar outro partido”, afirmou ao Valor.

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP)

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP). Foto: Amanda Perobelli/Reuters

Mesmo tendo alcançado resultados eleitorais expressivos em 2018, quando se elegeu deputada federal, Joice é vista com desconfiança no diretório paulista do PSL, presidido pelo deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidente. O diretório paulista estuda fazer uma prévia, na tentativa de barrar a pré-candidata. Pressionada a desistir da disputa no PSL, a deputada diz que negocia com outras quatro legendas uma possível migração – dentre elas, DEM e PSDB.

Um dos motivos para o pouco apoio que Joice enfrenta dentro do PSL é justamente a proximidade com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que deve dar apoio informal à candidatura da deputada. “Se Joice tem relação com o PSDB, isso gera desconforto. O eleitorado do PSL quer alguém totalmente alinhado com as pautas conservadoras”, diz Edson Salomão, cotado para comandar o diretório paulista do PSL.

As críticas de Joice à gestão de Eduardo Bolsonaro também incomodam o diretório. A líder do governo, no entanto, tem o apoio de seu ex-rival, o senador Major Olímpio (PSL-SP), que teme que, caso Joice não concorra, o PSL-SP lance um nome sem expressão e perca a disputa.