Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

JPMorgan estima que pico do coronavírus no Brasil terá 80 mil casos

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O pico de contágio pelo novo coronavírus no Brasil deve ocorrer entre o fim de abril e o início de maio. Cerca de 80 mil pessoas devem ser infectadas. Essa é a estimativa de cenário básico feita pelo banco JPMorgan, a partir de quadro apresentado pela economista-chefe para o Brasil, Cassiana Fernandez, em seminário online organizado pela Brazilian-American Chamber of Commerce.

Pico de contágiono País deve ocorrer entre o fim de abril e o início de maio

Pico de contágiono País deve ocorrer entre o fim de abril e o início de maio Foto: Wilton Júnior/Estadão

Se isso ocorrer, o banco estima que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro deve ter retração de 3,2% este ano, com queda de 20% no segundo trimestre, na margem anualizada. Para o déficit primário, a expectativa é de 5,3% do PIB. Já a dívida bruta em relação ao PIB deve alcançar 82,2% do PIB este ano, de acordo com Cassiana.

A economista ressaltou que o rombo projetado e a dívida bruta são menores do que o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, estimou mais cedo, no mesmo seminário, de cerca de 8% do PIB e de 85% a 90% do PIB, respectivamente. Mas, segundo ela, a diferença é que o cenário do JP considera que o Banco Central vai continuar a vender reservas internacionais.

Para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a projeção é de alta de 2,6% em 2020, enquanto a Selic deve terminar o ano em 3,25%, de acordo com o JP. A economista ainda mencionou que o banco espera uma queda do Investimento Direto no País (IDP), de cerca de US$ 79 bilhões no ano passado para US$ 52 bilhões este ano, informou o Broadcast Político.

Tudo o que sabemos sobre:

coronavírusBrasilpicoJP Morgan