Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Juiz proíbe entrada de missionários em terra de índios isolados

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O juiz federal Fabiano Verli, da Vara Única de Tabatinga (AM), proibiu na tarde de quinta, 16, a entrada de missionários na Terra Indígena Vale do Javari, um dos principais territórios no mundo com a presença de povos isolados, informa o site De Olho nos Ruralistas. Como você leu aqui no BRP no final de março, dois missionários norte-americanos pressionavam integrantes da União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja) para entrar no território. Houve relatos de indígenas sobre ameaças de um dos pastores de atear fogo na aldeia caso não tivesse seu acesso liberado ao local.

“Doutrinação religiosa, por mais que seja subjetivamente importante para muita gente, não é, pela ideologia constitucional possível, imaginável, um serviço essencial (…). Deixando claro o agnosticismo deste Juiz, ressalto os que imagino serem bons motivos daqueles que querem espalhar a belíssima palavra de Cristo aos índios. (…) Mas estamos num Estado laico e temos outras prioridades. Até estados semi-teocráticos e tirânicos como a Arábia Saudita esvaziaram seus templos pela Covid”, escreveu o magistrado em sua decisão.

No último sábado, dez caçadores foram detidos por servidores da Fundação Nacional do Índio (Funai) na região de isolados da TI Vale do Javari, portando armas. Lucas Marubo, vice-coordenador da Univaja, disse ao Conselho Indigenista Missionário (Cimi) que fazendeiros também têm entrado no território, informa a publicação.