Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Juíza manda Fundação Palmares excluir das redes ataques a Zumbi

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

A juíza Maria Cândida de Almeida, da 9ª Vara Federal, mandou a Fundação Palmares excluir dois textos contendo ataques à figura de Zumbi dos Palmares publicados nas redes sociais do órgão. A magistrada afirmou que, ao defender a ideia de que não há uma raça negra, a instituição agiu contra seus próprios princípios, configurando abuso de poder e desvio de finalidade.

Uma das postagens afirmava que Zumbi e a Consciência Negra “são fatos decorrentes da luta esquerdista”. Outro artigo dizia que o líder quilombola foi moldado “ao saber das necessidades da esquerda brasileira diante da abertura políticas das décadas de 1970 e 1980”.

A juíza afirmou ainda que não caberia à Justiça a revisão acadêmica de artigos. “Não se está aqui a fazer juízo de valor sobre os posicionamentos pessoais dos autores que reduzem o movimento negro à ‘luta esquerdista’. Porém, a instituição federal cuja finalidade é a preservação dos valores resultantes da influência negra, ao fechar os olhos a diferenças raciais, descumpre seus deveres institucionais e sobretudo seu dever – como ente estatal – de respeitar o direito à identidade dos cidadãos”, escreveu a juíza, de acordo com o Blog do Fausto.

As publicações foram divulgadas pelo presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, que em redes sociais afirmou em maio que “enaltecer Zumbi não é missão legal da instituição”.

Notícias relacionadas

Tudo o que sabemos sobre:

ZumbiFundação Palmares