Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Justiça autoriza quebra de sigilo de Flávio e Queiroz

Equipe BR Político

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro autorizou a quebra do sigilo bancário do período de janeiro de 2007 a dezembro de 2018 do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), de seu ex-assessor Fabrício Queiroz, de familiares de ambos, de empresas ligadas a eles e de mais 88 ex-funcionários do gabinete do ex-deputado estadual, informa O Globo. Eles são suspeitos de participar do esquema chamado de “rachadinha”, em que assessores parlamentares devolvem parte dos salários aos deputados.

Em entrevista ao Estadão, Flávio afirmou que “quebraram meu sigilo bancário sem autorização da Justiça e expuseram isso em rede nacional”. Mas não. O que foi exposto pela televisão foi o relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) com movimentações financeiras atípicas em sua conta bancária, não seu extrato bancário. Quando Flávio tentou suspender as investigações na Justiça do Rio, por suposta quebra de sigilo bancário sem autorização judicial, o desembargador Antônio Carlos Nascimento Amado, da 3.ª Câmara Criminal, negou o pedido sob a justificativa de que não houvera quebra de sigilo.

Tudo o que sabemos sobre:

Flávio Bolsonarocoaf