Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Justiça nega pedido para suspender retorno de escolas privadas do Rio

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O plantão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro negou, na noite de domingo, 2, um pedido do Ministério Público e da Defensoria Pública para suspender o retorno facultativo das aulas presenciais em escolas particulares do município a partir desta segunda-feira. A autorização foi feita pelo prefeito da capital, Marcelo Crivella (Republicanos).

A ação civil pública alegava que a decisão, tomada em meio à pandemia do novo coronavírus, trazia risco à saúde pública, além de promover desigualdade de acesso à escola — já que a rede pública ainda não tem data para o retorno.

O pedido tinha como argumento um estudo da Fiocruz que prevê 3 mil novas mortes com um possível retorno das aulas na cidade. O plantão judiciário, entretanto, considerou que é necessário mais tempo para analisar os “fatos narrados”, segundo o G1.