Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Justiça barra indicação de Salles para comandar unidade do ICMBio

Equipe BR Político

A Justiça Federal de Porto Alegre barrou a indicação da agrônoma Maira Santos de Souza, de 25 anos, para o comando do Parque Nacional da Lagoa do Peixe, unidade de conservação vinculada ao ICMBio. O pedido para que sua nomeação fosse suspensa partiu do Ministério Público Federal. Indicada em julho pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, Maira não tem experiência comprovada na área.

O Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

Ricardo Salles. Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

A polêmica na nomeação é ainda maior: filha de fazendeiros na região de Mostardas, a nomeação de Maira atendia a um pedido feito pelo deputado federal Alceu Moreira (MDB-RS), presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA). Ao analisar o pedido do MPF, o juiz federal substituto Bruno Brum Ribas, da 4ª Vara Federal de Porto Alegre afirmou que “não há registro no Cadastro Nacional de Informações Sociais – CNIS de qualquer vínculo ou atividade anterior de Maira Santos de Souza notadamente na área ambiental” e que “não existe qualquer elemento que comprove sua experiência profissional pretérita”.

Segundo o Broadcast Político, a intenção do governo é transformar o parque nacional (Parna) em uma área de proteção ambiental (APA), uma categoria de conservação quase nada restritiva que, na prática, torna a região mais flexível para exploração comercial.