Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Lava Jato não quebrou empresas

Vera Magalhães

Em sua coluna na Folha, Raquel Landim contesta a tese, antes difundida por Lula e Dilma Rousseff, e agora de volta à baila, segundo a qual a Lava Jato foi responsável pela quebradeira das empreiteiras envolvidas no petrolão, inclusive a Odebrecht, que entrou nesta semana em recuperação judicial. “O raciocínio não podia ser mais equivocado economicamente e enviesado politicamente. A Lava Jato cometeu erros e o engajamento do juiz Sérgio Moro no trabalho da promotoria, é certamente o mais grave deles. Mas a crise das construtoras não pode entrar nessa conta”, afirma.

Para ela, quem é responsável pela quebradeira das empresas são seus executivos, que concordaram com um esquema de propinas para perpetuar partidos no poder. “Como se não bastasse pagava propina a funcionários públicos e políticos para obter aditivos aos contratos com pesados sobrepreços. Na refinaria de Abreu e Lima, em Pernambuco, o custo estimado de US$ 2,4 bilhões saltou para US$ 18,5 bilhões – quase oito vezes mais”, sustenta.