Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Liberado desmatamento na Mata Atlântica

Vera Magalhães

O presidente do Ibama, Eduardo Fortunato Bim, contrariou dois pareceres da área técnica do órgão e liberou o desmatamento de uma área da Mata Atlântica no Paraná, um dos biomas mais ameaçados do País. Reportagem do Globo teve acesso aos documentos, que foram ignorados pelo dirigente do Ibama.

A decisão de Bim beneficiou a empresa Tibagi Energia, que tentava havia dois anos licença para instalar um canteiro de obras numa área de proteção às margens do rio Tibagi. Para isso, a empresa vai desmatar uma área de 14 hectares.

A obtenção da licença depende do governo do Paraná, mas como se trata de área de Mata Atlântica, era necessário o aval do Ibama.

Num dos pareceres ignorados, uma força-tarefa de técnicos do Ibama recomendou a não concessão da anuência justificando que a área tem alto valor ambiental, cultural e paisagístico e, por isso, deveria ter alto grau de preservação. A empresa recorreu, a mesma equipe confirmou a avaliação e a anuência foi negada pela superintendência do Ibama no Paraná.

A empresa, então, recorreu à presidência do Ibama. Apenas oito dias depois do recurso, Bim desprezou os pareceres técnicos e liberou o aval.